Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1127
Title: Auditoria energética a edifício administrativo RSECE versus EPBD
Authors: Lages, António Bruno Sousa
Advisor: Costa, Paulo
Issue Date: 11-Jul-2014
Abstract: Eficiência energética é uma preocupação em países desenvolvidos, que em resultando da sua actividade industrial e do contínuo aumento do custo com energia de fontes convencionais, têm vindo a fomentar e desenvolver práticas e equipamentos mais eficientes energeticamente, acompanhados de políticas de sustentabilidade. Os setores de actividade dos transportes, industria e edifícios são globalmente os maiores consumidores de energia e nesse sentido, para cada caso a União Europeia, tem vindo a publicar nas últimas duas décadas uma série de diretivas com objetivo claro de promover e aplicar níveis de eficiência energética mais elevados de uma forma progressiva. Portugal como estado membro tem vindo a adoptar diretivas comuns nesse sentido. A implementação do plano nacional para a eficiência energética (PNAEE), entre outras medidas e concretamente em relação aos edifícios com aprovação de diplomas de medidas de incentivo à implementação de medidas de racionalização e eficiência energética em edifícios residenciais, industriais e grandes edifícios de serviços. Para esse objetivo da eficiência são visíveis os esforços ao nível da concepção e projecto, com a introdução de novos materiais, tecnologias e aplicação de metodologias de construção mais eficientes e integração de fontes de energia renováveis nos próprios edifícios.Nesta dissertação a temática da eficiência energética é abordada na perspectiva de um edifício de serviços, concebido em 2007, que não está enquadrado com a mais recente directiva europeia 2012/31/EU (EPBD), com objetivos em termos de consumo próximos do zero para edifícios novos até 2020, baseados no conceito NZEB (Nely Zero Energy Buildings), mas que é importante perceber e fazer antecipadamente o estudo e levantamento adequado em termos de consumo, para se perceber a que distância se situa o seu desempenho energético, quando comparado com um edifico novo que é concebido conforme directiva 2012/31/EU. A desagregação por tipologia de consumo do edifício indica que o AVAC é responsável por 50% do consumo do edifício e equipamentos informáticos e servidores e outros equipamentos ligados aos sistemas socorridos de energia consomem 40% do consumo total e restante parcela é afecta consumo de iluminação e outros equipamentos. Em termos de produção de água fria 77% dessa produção destina-se à climatização dos gabinetes e salas de formação. Um outro aspeto relevante, em relação a produção de águas quentes sanitárias, esta satisfaz 25% das necessidades do edifício. Em termos gerais o edifício consome mais de 80%, comparativamente com um edifício NZEB de referência projectado de raiz, isto representa uma grande diferença que espelha a dificuldade que os grandes edifícios existentes virão a ter para alcançarem patamares de eficiência semelhantes.
Energy efficiency it’s a concern since decades in developed countries, which in result of their industrial activity consumption and their continuous increasing of energy costs from energy conventional sources, have been promoting and developing efficiency practices, equipment’s supported by sustainability policies. The activity economic sectors like transports, industry and buildings, are generally the largest energy consumers, and in each case UE have now been published in last two decades several directives, in order to reach higher levels of energy efficiency by a progressive way. Portugal as a member state of UE, has been adopted common guidelines, like national energy efficiency plan (PNAEE), among other measures concerning with buildings energy consumptions, adoption of measures and financial incentives in order to promote rationalization measures and energy efficiency in residential, industrial and bigger service buildings. To reach this targets are visible several efforts in conception, design, construction materials, technologies, and different building concepts and methodologies to make buildings more efficient, also with renewable energy’s sources, integrated them.In this thesis energy efficiency issue is approached perspective, of a service building built in 2007, that was not designed concerning the last European Directive 2012/31/EU (EPBD), with zero energy as a target to their energy consumption, like new buildings until 2020, based on the NZEB concept (Nearly Zero Energy Buildings), but it is important to realize and study the typical behavior in terms of consumption, to understand how far away comparing study building are when compared with NZEB buildings energy performance according Directive 2012/31/EU.The energy disintegration by type of consumption of the building, show us that HVAC is responsible for 50% of energy consumption, and informatics equipment’s like servers and other equipment’s connected to power failure system energy consume 40% of total consumption, and remaining portion is affecting consumption of lighting and other equipment. In terms of cold water production, 77% of this production is intended for the air conditioning in the offices and training rooms. Another important aspect regarding hot water production, this satisfies 25% of the building needs. In general terms, the building consumes over 80%, when compared with a NZEB landmark building designed from scratch, this is a big difference that reflects the difficulty that large existing buildings will be to achieve similar levels of efficiency.
Description: Mestrado em Sistemas de Energias Renováveis na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1127
Appears in Collections:EE - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Antonio_Lages.pdf22.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.