Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1244
Title: As intervenções do enfermeiro de uma unidade de cuidados continuados perante a dor crónica do doente paliativo
Authors: Sá, José Alberto FernandesTraila Monteiro de
Advisor: Cerqueira, Maria Manuela Amorim
Keywords: Cuidados paliativos;Dor crónica;Enfermeiros;Palliative care;Chronic pain;Nurses
Issue Date: 19-Dec-2014
Abstract: Existindo um certo vazio de oferta de cuidados ativos e personalizados a pessoas que experienciam a incurabilidade da doença e a dor crónica, os Cuidados Paliativos são um elemento essencial na sociedade moderna ao proporcionar ao doente e família um apoio ativo, especializado e humanizado, facilitando o alívio do sofrimento e dando a oportunidade de preservar a dignidade. Contudo, a maioria dos doentes que carece deste tipo de cuidados, continua internado em unidades de saúde orientados para a cura e não para um cuidar com uma visão integradora da multidimensionalidade da pessoa não curável e com dor crónica. Constitui-se objetivo deste estudo: Compreender como o Enfermeiro de uma Unidade de Cuidados Continuados intervém na Gestão da Dor Crónica do Doente Paliativo, com a finalidade de contribuir para a humanização dos cuidados nesta última fase da vida. Estudo de natureza qualitativa, com recurso a entrevistas semiestruturadas a enfermeiros em uma unidade de cuidados continuados. É um estudo de natureza descritivoexploratória em que os dados foram submetidos a análise de conteúdo segundo Bardin (2011). Os resultados obtidos evidenciam que os enfermeiros definem doente paliativo como aquele que não tem perspetiva de cura; doente terminal; doente com doença crónica, evolutiva e progressiva e doente com sintomas não controlados. Quanto ao conceito de dor definem-na como persistente no tempo; contínua no tempo; subjetiva e recorrente, indo ao encontro da literatura. Os enfermeiros perante a dor crónica valorizam vários aspetos, como: comunicação nãoverbal, dimensão psicológica, emocional, a resposta alimentar e a monitorização da dor crónica. Neste último aspeto os enfermeiros recorrem fundamentalmente a escalas analógicas (verbal e de faces). Verificou-se que o enfermeiro possui conhecimento acerca das técnicas de alívio da dor, referindo as farmacológicas e não farmacológicas. No entanto, salientam que nem sempre estas estratégias são mobilizadas devido à existência de uma multiplicidade de dificuldades que se estendem desde a alta complexidade de cuidados, a limitação de acesso a opióides ao défice de formação em cuidados paliativos.Ressaltam a necessidade de se melhorar a referenciação dos doentes, maior formação na área de cuidados paliativos e um circuito de informação e comunicação mais eficiente e eficaz. A partir dos discursos verificou-se que existe a necessidade de uma mudança mais efetiva nas políticas governamentais e na saúde em Portugal para que seja capaz de responder às necessidades dos doentes sem perspetiva de cura e com dor crónica, concedendo assim um cuidar centrado na pessoa.
With the existence of a certain void in the offer of personalized and active care to people experiencing the incurability of the disease and chronic pain, Palliative Care is an essential element in modern society in the modern society in providing the patient and family an active support, specialized and humanized, facilitating the relief of suffering and giving him/her the opportunity of preserving his/her dignity. However, the majority of the patients who lack this kind of care, remain hospitalized in health units geared to heal and not to care with an integrated view of the non-curable/with chronic pain person’s multidimensionality. The objective of this study constitutes: How a nurse from a Continued Care Unit intervenes in the handling of a Palliative Patient’s Chronic Pain, in order to contribute to the humanization of care in this last phase of life. Qualitative nature study, resorting to semi-structured interviews to nurses in a continued care unit. It is a study of a descriptive and explorative nature in which data was submitted to context analysis according to Bardin (2011). The results obtained show that the nurses define a palliative patient as one who has no prospect of cure; terminal patient; patient with chronic disease, evolutionary and progressive and patient with uncontrolled symptoms. With regards to the concept of pain, it is defined as persistent in time; continuous in time; subjective and recurrent, which meets the literature. Before chronic pain the nurses value various aspects, such as: non-verbal communication, psychological dimension, emotional, the feeding response and the monitoring of chronic pain. In this last aspect the nurses fundamentally resort to the analogical scales (verbal and faces). It was found that the nurse possesses knowledge regarding pain relief techniques, referring pharmacological and non-pharmacological. However, it is stressed that these strategies are not always mobilized due to the existence of a multiplicity of difficulties which extend the high complexity of care, the limit of access to opiates, lack of training in palliative care. The highlight of the necessity to improve the patient’s referral, greater training in the palliative care area and a circuit of more efficient and effective information and communication.It was verified from the speeches that there is a necessity for a more effective change in government politics in Health in Portugal so that is able to respond to the patient’s needs without the perspective of cure with chronic pain, thus granting personcentred care.
Description: Dissertação de mestrado em Cuidados Paliativos apresentada na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1244
Appears in Collections:ENF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jose_Sa.pdf1.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.