Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1290
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, Maria Salomé Martins-
dc.contributor.authorFerreira, Mariline Patrícia Fernandes-
dc.date.accessioned2015-04-14T14:11:11Z-
dc.date.available2015-04-14T14:11:11Z-
dc.date.issued2015-04-01-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/20.500.11960/1290-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Enfermagem de Reabilitação apresentada na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelopor
dc.description.abstractO acidente vascular cerebral representa uma das principais causas de mortalidade e morbilidade a nível mundial, tendo grande repercussão na qualidade de vida dos doentes. A enfermagem de reabilitação assume por isso grande importância, pois contribuí para ajudar o doente a readquirir capacidades perdidas e a tornar-se mais autónomo. Tendo presente esta realidade, considerámos importante realizar um estudo com o tema: “Doente com AVC: ganhos na qualidade de vida após intervenção do enfermeiro de reabilitação”, visando conhecer de que forma o enfermeiro de reabilitação influência a qualidade de vida do doente após o Acidente Vascular Cerebral, de modo a contribuir para uma melhor intervenção neste domínio. Definimos como objetivos específicos: Avaliar o nível de qualidade de vida dos doentes acometidos por AVC no momento da alta da Unidade de Cuidados Continuados de Média Duração e Reabilitação; avaliar o nível da qualidade de vida dos doentes acometidos por AVC, 2 meses após alta e sujeitos à intervenção do enfermeiro de reabilitação no domicílio; identificar a influência das varáveis sociodemográficas (género, idade, estado civil e habilitações literárias) na qualidade de vida no doente com AVC e por fim conhecer a perceção dos doentes que sofreram AVC, relativamente à intervenção do enfermeiro de reabilitação na manutenção/recuperação da qualidade de vida no doente com AVC. Trata-se de um estudo misto, predominantemente quantitativo, correlacional e longitudinal, sendo a amostra constituída por 51 indivíduos de ambos os sexos. Os instrumentos utilizados foram: o questionário sociodemográfico, elaborado para o efeito, e a Escala de Qualidade de Vida Específica para Doentes com AVC (Malheiro [et. al.], 2009). Os resultados revelaram que os sujeitos da amostra possuem uma média de idade de 76 anos, na sua maioria mulheres (66.7%), casados ou em união de facto (54.9%) e com o 4º ano de escolaridade (49%). Relativamente ao contributo das variáveis sociodemográficas para a qualidade de vida nos doentes após AVC, verificou-se que a variável idade influencia negativamente a qualidade de vida nos domínios: Energia, Papel Familiar, Disposição, Papel Social, Mobilidade, Força Membro Superior e Trabalho/Produtividade; a variável habilitações literárias influencia positivamente a qualidade de vida nos domínios Energia, Disposição, Papel Social, Capacidade Mental, Linguagem, Mobilidade, Força Membro Superior, Trabalho/Produtividade e Autocuidados. As variáveis género e estado civil não influenciam nenhum dos domínios da qualidade de vida e os domínios Personalidade e Visão não são influenciados por nenhuma das variáveis estudadas. Relativamente à perceção dos doentes sobre a importância do enfermeiro de reabilitação concluímos que 48 individuos consideram que o enfermeiro de reabiltação foi importante para melhorar a sua qualidade de vida na medida em que este promoveu a manutenção e a reeducação funcional: motora, sensitiva, cognitiva, sistema cardiorrespiratório, da alimentação e eliminação (vesical e intestinal). O estudo mostra que a intervenção do enfermeiro de reabilitação contribui para uma melhoria da qualidade de vida e sugere-se o desenvolvimento de outros estudos no sentido de reforçar estes resultados.por
dc.description.abstractA cerebrovascular accident (CVA), also known as stroke, represents one of the main causes of mortality and morbidity worldwide, having great impact on the quality of life of patients. Rehabilitation nursing is extremely important as it contributes to the recovery of lost abilities and the independence of these patients. Therefore, we have considered important to conduct a study based on the subject: “Patient with a cerebrovascular accident: gains in quality of life after the intervention of the rehabilitation nurse " with the purpose of understanding the effects of rehabilitation nursing in the quality of life of patients who have suffered a Cerebrovascular Accident, and thus contribute to a better intervention on this subject. The aims of this study are: to assess the level of the quality of life of these patients at the time they are discharged from the Midterm Rehabilitation Unit; to evaluate the level of their quality of life 2 months later, while still benefiting from the intervention of a rehabilitation nurse at home; to perceive the influence of sociodemographic variables (gender, age, marital status and level of education) on their quality of life and, finally, to acknowledge the perception of these patients regarding the intervention of the rehabilitation nurse on the maintenance/recovery of their quality of life. A mixed study was developed, mainly quantitative, descriptive, correlational and longitudinal on a sample of 51 individuals of both sexes. The instruments used were the sociodemographic questionnaire, prepared for this purpose, and the Stroke Specific Quality of Life Scale (Malheiro [et. al.], 2009). The results revealed that the average age of the subjects was 76 years, mostly female (66.7%), married or in common-law partnership (54.9%) and having had four years of schooling (49%). Regarding the contribution of sociodemographic variables (gender, age, marital status and level of education) to the quality of life in patients after CVA, it was possible to acknowledge that the variable age influences negatively the quality of life in the Energy, Family Role, Provision, Social Role, Mobility, Strength of Upper Limb, Work/Productivity domains; the education variable influences positively the quality of life in the Energy, Provision, Social Role, Mental Ability, Language, Mobility, Strength of Upper Limb, Work/Productivity and Self Care domains; The variables gender and marital status do not have any influence on any of the quality of life domains, and that the domain of Personality and Vision are not influenced by any of the variables studied. Regarding the perception patients have on the importance of the rehabilitation nurse, 48 individuals considered that the rehabilitation nurse was important to improve their quality of life as these promoted the patients’ motor, sensorial, cognitive, cardiorespiratory, feeding, excretory processes and functional re-education. The study shows that the rehabilitation nurse intervention contributes to a better quality of life and suggests the development of further studies to strengthen these results.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectAcidente vascular cerebralpor
dc.subjectEnfermeiro de reabilitaçãopor
dc.subjectQualidade de vidapor
dc.subjectStrokepor
dc.subjectRehabilitation nursepor
dc.subjectQuality of lifepor
dc.titleDoente com AVC: ganhos na qualidade de vida após intervenção do enfermeiro de reabilitaçãopor
dc.typemasterThesispor
thesis.degree.nameMestrado em Enfermagem de Reabilitaçãopor
thesis.degree.levelMestre em Enfermagem de Reabilitaçãopor
dc.identifier.tid201161672-
Appears in Collections:ENF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mariline_Ferreira.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.