Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1668
Title: A intervenção dos enfermeiros no controlo da dispneia
Authors: Costa, Maria Adelaide
Advisor: Fonseca, Maria José Lopes
Soares, Maria de la Salete Rodrigues
Keywords: Dispneia;Enfermeiros;Reabilitação respiratória;Dyspnea;Nurses;Respiratory Rehabilitation
Issue Date: 22-Jun-2016
Abstract: As doenças do foro respiratório e circulatório estão a aumentar devido a vários fatores nomeadamente o fumo do tabaco, a poluição atmosférica, estilos de vida sedentários e alimentação pouco saudável, sendo a dispneia um sintoma frequente nestas doenças com forte impacto quer ao nível socioeconómico quer na qualidade de vida da pessoa, pelo que o seu controlo torna-se uma preocupação constante por parte do enfermeiro do serviço de urgência, ao qual recorrem inúmeras pessoas com esta sintomatologia. Por estes motivos desenvolvemos este estudo de investigação que tem como objetivos: descrever as técnicas de controlo da dispneia utilizadas pelos enfermeiros do serviço de urgência; analisar as dificuldades sentidas pelos enfermeiros do serviço de urgência na sua intervenção relativamente às técnicas de controlo de dispneia e determinar as necessidades de formação dos enfermeiros do serviço de urgência sobre técnicas de controlo de dispneia. Neste estudo optamos pela metodologia de investigação qualitativa de caráter exploratório descritivo. Para a sua realização selecionamos como instrumentos de recolha de dados a entrevista semiestruturada e a observação não participante sistemática que realizamos a cinco enfermeiros do serviço de urgência de um Centro Hospitalar da região Norte. Após a recolha de dados iniciamos o processo de tratamento com recurso à técnica de análise de conteúdo, proposta por Bardin (2011) e procedemos à análise descritiva das intervenções observadas. Do processo da análise de conteúdo das entrevistas, emergiram cinco áreas temáticas: conhecimento sobre técnicas de controlo de dispneia; intervenções dos enfermeiros à pessoa com dispneia; perceção dos enfermeiros relativamente à importância das técnicas de controlo de dispneia; dificuldades sentidas pelos enfermeiros na utilização das técnicas de controlo de dispneia e perceção do impacto da formação na prática de cuidados respiratórios. Os resultados obtidos evidenciam que os enfermeiros conhecem e utilizam como técnicas de controlo da dispneia posições de descanso e relaxamento à pessoa deitada, dissociação de tempos respiratórios, exercícios de respiração abdominal, ensino da tosse e outras terapêuticas não farmacológicas e farmacológicas. A aspiração de secreções, gerir o ambiente físico (temperatura, ruído e luminosidade), o conforto e o controlo da ansiedade são, ainda cuidados que realizam ou dizem realizar. Percebem que estas técnicas são importantes para o controlo respiratório, a eliminação de secreções e a maximização da autonomia da pessoa com dispneia. Os enfermeiros mencionaram como dificuldades na sua intervenção: o défice de conhecimentos, o défice de recursos humanos, recursos materiais e físicos inadequados, e por último a falta de tempo. Constatamos ainda que os enfermeiros admitem necessidade de formação, com o objetivo de desenvolverem o seu conhecimento e competências para a prestação de cuidados à pessoa com dispneia. Reconhecida esta necessidade fazemos uma proposta de formação com sessões teóricas e práticas no âmbito dos cuidados respiratórios junto da pessoa com dispneia no serviço de urgência.
Diseases of respiratory and circulatory tracts are increasing due to a wide variety of causes namely: tobacco smoke, air pollution, sedentary lifestyles and unbalanced diets. Dyspnea is a common symptom for these diseases with a strong impact not only on the patients’ social level but also on his quality of life. Owing to this impact, the control of dyspnea should become a major concern of the nurse in charge of the emergency service and to whom many patients suffering from this symptomatology resort. For these reasons, we have developed a research work which aims to: describe the control techniques administered by nurses in the emergency service for controlling dyspnea, analyse the difficulties faced by nurses of the referred service when approaching the techniques for handling dyspnea and to determine the needs for further training concerning the mentioned techniques. In our study, we chose a qualitative methodology with a descriptive and exploratory nature. To achieve this work, we selected the semi-structured interview and the systematic non participant observation as tools for gathering data. We developed these activities with five nurses working for the emergency service in a central hospital in the northern region of our country. After collecting the available data, we started processing them resorting to the technique of content analysis as suggested by Bardin (2011) and then we progressed to the descriptive and detailed examination of the observed interventions. After analyzing the content of the interviews, five topic areas came out: the know-how of the techniques for handling dyspnea, the intervention to the dyspnea patient by the nurse, the knowledge of the relevance of the controlling techniques, the hardships faced by nurses when tackling these techniques and the realization of the need for further practical training relating respiratory nursing. The results achieved prove that nurses know and apply repose and relaxation positions to the lying patient as well as abdominal breathing exercises, teaching them how to cough and pharmacological and non-pharmacological therapies. The aspiration of secretions, the regulation of some features of the physical environment such as the temperature, light and noise, caring for the patients’ well-being as well as the control of anxiety, are worries that concern nurses and that they always try to perform. These professionals realize that the techniques play a major role to achieve respiratory control, the removal of secretions and maximization of the patients’ own autonomy.The nurses pointed out the following difficulties as main obstacles for carrying out their work in this area: the lack of knowledge, the lack of human, physical and material resources and lastly the lack of time. We noted down the need for further practical training so as to increase their knowledge and the skills for taking care of dyspnea patients. Once this need is accepted, we suggest both practical and theoretical sessions within the framework of respiratory treatments applied to dyspnea patients in the emergency service.
Description: Dissertação de Mestrado em Enfermagem de Reabilitação apresentada na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1668
Appears in Collections:ENF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria_Costa.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.