Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1681
Title: Vinculação, satisfação com a vida e sintomatologia depressiva: contributos da investigação para a gerontologia social
Authors: Gonçalves, Natacha Alves
Advisor: Faria, Carla Maria Gomes Marques de
Amorim, Maria Isabel Soares Parente Lajoso
Keywords: Cuidadores formais;Envelhecimento;Gerontologia social;Formal caregivers;Aging;Social gerontology
Issue Date: 14-Mar-2014
Abstract: O aumento da longevidade, na sociedade actual, coloca novos desafios a profissionais de diversos domínios, nomeadamente na prestação de cuidados (Sequeira, 2010). O acto de cuidar pode provocar nos cuidadores formais uma sobrecarga intensa que acaba por comprometer a saúde, a vida social, o exercício profissional (Imaginário, 2003). Estudos sugerem que a forma como uma pessoa efectua a prestação de cuidados aos outros está ligado com a própria história de vinculação na infância e com a forma como representa e percepciona a prestação de cuidados que teve enquanto criança e adulto (Kunce & Shaver, 1994). Assim, supõe-se que a qualidade da vinculação é um recurso interno, relevante para o funcionamento adulto, nomeadamente no exercício profissional. São vários os estudos nacionais e internacionais elaborados nesta vertente com profiossionais, evidenciando consequências da actividade profissional a nível físico, emocional, social e profissional, no entanto, não existem estudos neste domínio com profissionais do social, e especificamente na área do envelhecimento. Neste contexto, o presente estudo pretende caracterizar os profissionais do social que exercem no âmbito de organizações sociais de retaguarda ao envelhecimento em termos sociodemográficos e profissionais, ao nível de estilos de vinculação, satisfação com a vida e sintomatologia depressiva. No estudo participam 39 profissionais do Social que foram avaliados com uma Ficha sócio-demográfica, Inventário de Depressão de Beck (Beck, 1996; versão portuguesa de Vaz Serra & Pio de Abreu, 1973), Escala de Vinculação do Adulto (EVA, Canavarro 1997) e Escala de Satisfação com a Vida (SWLS;Diener, Emmons, Larsen, e Griffin, 1985; versão portuguesa Neto, Barros & Barros 1990). Os resultados revelam que a maioria dos participantes é do género feminino (76,9%), solteira (43,6%), com licenciatura (41%), e directores técnicos (76,9%). Em média, os participantes têm 30,62 anos (DP = 4,72). O estilo de vinculação seguro é o que apresenta valores médios mais elevados (M = 3,08, DP = 0,42), sendo o estilo de vinculação ansioso o que apresenta valores médios mais baixos (M = 2,09, DP = 0,52). Já em termos de satisfação com a vida o valor médio é de 22,51 (DP = 5,50) e de sintomatologia depressiva é de 10,49 (DP = 3,96). Os resultados obtidos permitem traçar um perfil dos profissionais deste domínio e constituem a primeira abordagem ao estudo deste tipo de profissionais no âmbito do envelhecimento.
Increased longevity in today's society, poses new challenges to professionals in various fields, including the provision of care (Sequeira, 2010). The act of caring can produce the burden in formal caregivers which compromises their health, social life, and relationships (Imaginary, 2003). Studies suggest that how a person performs the care of the other is connected with the history of attachment in childhood and how the person represents and perceives the care that he or she had as a child and adult (Kunce & Shaver, 1994). Thus, it is assumed that the quality of the attachment is an internal resource, relevant to adult functioning, namely in professional practice. There are several national and international studies elaborated on this with formal caregivers, highlighting consequences of caregiving on the physical, emotional, social and professional field, however, there are no studies in this field with professional from social, and specifically in the area of aging. In this context, this study aims to characterize social professional who works in social organizations in the field of agingin terms of sociodemographic and professional caracteristies, attachment styles, life satisfaction and depressive symptomatology. In the study participated 39 professional from social. Assessed with socio-demographic questionnaire, Beck Depression Inventory (Beck, 1996; Portuguese version of Vaz Serra & Pio Abreu, 1973), Adult Attachment Scale (EVA Canavarro 1997) and Life Satisfaction Scale (SWLS, Diener, Emmons, Larsen, and Griffin, 1985; Portuguese version Neto, 1993). The results reveal that the majority of participants are female (76.9%), single (43.6%), with a degree (41%), and 76.9% are directors. On average, participants have 30.62 years (SD = 4,72). The secure attachment style is one that has higher average values (M = 3.08, SD = 0.42), and anxious attachment style is the one that presents lower mean values (M = 2.09, SD = 0 52). In terms of satisfaction with life the average value is 22.51 (SD = 5.50) and depressive symptomatology is 10.49 (SD = 3,96). The results obtained allow us to draw a profile of the professional of social and constitute the first approach to the study of such professionals in the field of aging.
Description: Dissertação de Mestrado em Gerontologia Social apresentada na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1681
Appears in Collections:SOE - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Natacha_Goncalves.pdf979.13 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.