Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.11960/2123
Title: Desenvolvimento de competências especializadas em cuidados paliativos
Authors: Araújo, Susana Patrícia Pereira
Advisor: Cerqueira, Maria Manuela Amorim
Mendes, Susana
Keywords: Cuidados paliativos;Competência;Intervenção especializada;Palliative care;Competence;Specialized intervention
Issue Date: 17-Dec-2018
Abstract: Atualmente, defrontar o fim de vida e o sofrimento, parece continuar a ser algo difícil. Os profissionais de saúde, nomeadamente os enfermeiros, continuam a investir em medidas terapêuticas que têm como objetivo major prolongar a vida por algumas horas, mas que não evitam o sofrimento nem a morte. Efetivamente, cuidar da pessoa em fim de vida e família exige a participação ativa e competência do enfermeiro, no sentido de satisfazer as suas necessidades, privilegiando o direito de morrer com dignidade e o direito de receber bons cuidados, alicerçada no dever do respeito pela vida. Cuidar de forma integral a pessoa em fim de vida implica, um cuidado humano cuja missão para além do alívio é a compreensão deste processo de sofrimento. Assim, com o objetivo de desenvolver competências especializadas e habilidades na área dos cuidados paliativos, a nossa opção recaiu pela realização de um Estágio de Natureza Profissional na Equipa de Cuidados Paliativos da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, de forma a contribuir para um cuidado centrado na pessoa e família, focando-a como uma unidade de cuidados e como tal, para a construção do processo de fim de vida com qualidade. A nossa prestação de cuidados de enfermagem especializada assentou nas dimensões essenciais dos cuidados paliativos, nomeadamente: controlo de sintomas; comunicação adequada; trabalho em equipa, apoio à família e acompanhamento no processo de luto. Procuramos adotar metodologias ativas, dinâmicas, considerando o doente e família como sujeitos do cuidar, e respeitando os princípios éticos, deontológicos e legais. Verificamos, através da nossa prática clínica que controlar sintomas é difícil, na medida em que estes são afetados por diversas dimensões (físicas, emocionais, sociais, éticas e espirituais). Procuramos realizar uma correta avaliação dos sintomas, abordando as diferentes dimensões da pessoa, caracterizando as necessidades do doente e família, delineando estratégias de intervenção e monitorizando-as. Desta forma desenvolvemos competências a nível do diagnóstico de necessidades, do planeamento, do reajuste do plano de cuidados, da monitorização avaliação e (re)avaliação, de modo a maximizar o conforto, diminuir o sofrimento e aumentar a qualidade de vida do doente e família. A nível da comunicação procuramos estabelecer uma comunicação compreensiva, centrada no doente e família. Assim comunicar eficazmente implica competência relacional, emocional, ética, cultural e espiritual. Exigiu um equilíbrio entre o conhecimento que possuíamos, as habilidades, atitudes, valores e emoções.A nível do trabalho em equipa, procuramos trabalhar com os vários elementos da equipa, de forma a termos o mesmo objetivo do cuidar que passa pela promoção do conforto e da qualidade de vida. A nível do apoio à família e acompanhamento no processo de luto procuramos ouvir os familiares, favorecer a expressão dos seus sentimentos, receios, expectativas, dúvidas e preocupações sobre o futuro, para assim conseguir estabelecer uma boa relação de confiança e consequentemente uma boa relação de ajuda A nível da formação, gestão e investigação promoveu mudanças/inovação no cuidar. Parece podermos afirmar que com a realização deste estágio de natureza profissional adquirimos competências técnicas, científicas, relacionais e humanas, bem como, um pensamento mais crítico e analítico, para um exercício profissional na área dos cuidados paliativos.
Currently, facing the end of life and the suffering, still seems to be somewhat difficult. Health professionals, including nurses, continue to invest in therapeutic measures that have as their major goal to prolong life for a few hours, but that does not prevent the suffering or death. Effectively, taking care of the person at the end of life and family requires the active participation and competence of the nurse, in order to meet their needs, favoring the right to die with dignity and the right to receive good care, based on the duty of respect for life. Taking care of the whole person at the end of life implies a human care whose mission beyond the relief is the understanding of this process of suffering. Thus, with the aim to develop expertise and skills in the field of palliative care, our choice fell by the completion of a stage of Professional Nature on Intra-Hospital Team Support in Palliative Care from the Local Health Unit of Alto Minho, in order to contribute to a care centerd on the person and the family, focusing on it as a unit of care and as such, for the construction of the process of end of life with quality. Our provision of specialised nursing care was based on the essential dimensions of palliative care, including: control of symptoms; proper communication; team work, family support and monitoring in the process of mourning. We seek to adopt active methodologies, dynamic, considering the patient and family as the subject of caring, and respecting the ethical and legal principles. We found, through our clinical practice, that is difficult to control symptoms, once they are affected by various dimensions (physical, emotional, social, ethical and spiritual). So, we seek to make a correct assessment of symptoms, addressing the different dimensions of the person, characterizing the needs of the patient and family, outlining strategies for intervention and monitoring them. Thus, we developed skills at the level of the diagnosis needs, in planning, the readjustment of the healthcare plan, monitoring, evaluation and (re)assessment, in order to maximize the comfort, ease suffering and enhance the quality of life of the patient and family. At the level of communication we seek to establish a comprehensive communication, centered on the patient and family. So, communicate effectively implies relational competence, emotional, ethical, cultural and spiritual. It required a balance between the knowledge that we had, skills, attitudes, values and emotions.At the level of work in a team, we tried to work with the various elements of the team, so we had the same goal of care that passes through the promotion of comfort and quality of life. At the level of support to the family and monitoring in the process of mourning, we seek to listen to family members, encourage the expression of their feelings, fears, expectations, doubts and worries about the future, thus to be able to establish a good relationship of trust and consequently a good relation of help. At the level of training, management and research promoted changes/innovation in care. It seems that we can say that with the completion of this stage of professional nature we acquire technical skills, scientific, relational and humanities, as well as a more critical and analytical thinking, to a professional in the area of palliative care.
Description: Relatório de Estágio de natureza profissional em Cuidados Paliativos apresentada na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/2123
Appears in Collections:ENF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Susana_Pereira_araujo.pdf4.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.