Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1829
Título: Envelhecimento ativo e suporte social : Um estudo sobre o jardim PAM
Autores: Faria, Carla Maria Gomes Marques de
Pinto, Nazaré Carvalho
Palavras-chave: Envelhecimento ativo
Suporte social
Gerontologia social
Active aging
Social support
Social gerontology
Data: 17-Jun-2015
Resumo: Face ao aumento da esperança média de vida e à diminuição da mortalidade e da natalidade, assiste-se a um aumento da longevidade e ao envelhecimento da população, sendo múltiplos os desafios colocados aos indivíduos e à sociedade (Paúl & Ribeiro, 2012). Assim, têm surgindo nos últimos anos e ao nível mundial, uma série de políticas sociais e de saúde no âmbito do envelhecimento ativo no sentido de solucionar os problemas identificados na estrutura e funcionamento da sociedade. O tema do envelhecimento ativo tem ocupado um dos lugares cimeiros nas agendas mundiais, nomeadamente da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2005) que avança com a definição de Envelhecimento Ativo, como sendo, “o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas” (OMS, 2005, p.13). O envelhecimento ativo não se restringe à promoção da saúde, na medida em que diz também respeito aos fatores ambientais e pessoais associados ao bem-estar. A sociedade, a comunidade e a família exercem igualmente um enorme impacto na forma como se envelhece (Cabral & Ferreira, 2014), evidenciando-se neste sentido a importância das relações de apoio social (Antonucci, Lansford e Akiyama, 2001). É importante sublinhar que o principal argumento a favor do envelhecimento ativo evidencia a necessidade de assegurar a inclusão social das pessoas que envelhecem e de garantir a sua presença na vida coletiva, assim como em atividades que promovam a coesão e a interação social. Neste sentido, o presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de (1) caracterizar os participantes do Jardim das Plantas Aromáticas e Medicinais (PAM), em termos sociodemográficos e das vivências associadas a esta participação; (2) avaliar as redes sociais e a satisfação com o suporte social dos participantes no Jardim PAM; e (3) analisar a existência de diferenças nas variáveis em estudo (redes sociais e satisfação com o suporte social) em função de variáveis sociodemográficas. Para esta investigação optou-se por um processo de seleção amostral de carácter não probabilístico, consubstanciando-se a amostra nos participantes da segunda edição do Jardim PAM & Bem-estar (N = 27), sendo 81.5% mulheres, com idades compreendidas entre 54 e 89 anos de idade (M= 70.67; dp= 8.88), com escolaridade reduzida, predominantemente até quatro anos (59.3%), e maioritariamente casados (48.1%). Relativamente à estratégia de recolha de dados, utilizou-se o Protocolo de Investigação Jardim PAM & Bem-estar (Bastos, Faria, Moreira & Melo de Carvalho, 2013) que incluía, para além de outras medidas, a escala de satisfação com o suporte social (Pais-Ribeiro, 1999) e a Escala Breve de Redes Sociais de Lubben (Lubben, 1988; versão portuguesa de Ribeiro, Teixeira, Duarte, Azevedo, Araújo, Barbosa & Paúl, 2012). Analisada a satisfação com o suporte social em função das características sociodemográficas não se observaram diferenças estatisticamente significativas (p<0.05) em função do género, grupo etário e escolaridade. Relativamente à rede social 89,9% dos participantes não apresentam risco de isolamento social.
Facing the increase of life expectancy and the reduction of mortality and birth, we are watching an increase in longevity and the aging of the population, seting multiple challenges to individuals and society (Paúl & Ribeiro, 2012). In this context have emerged in recent years and the world, a number of social and health policies in the domain of active aging in order to address the problems identified in the structure and functioning of society. Active aging has occupied one of the top positions in global agendas, in particular, World Health Organization (WHO, 2005) which puts forward the definition of Active Ageing, as "the process of optimizing opportunities for health, participation and security, with the aim of improving the quality of life as people get older" (WHO, 2005, p.13). Active aging is not limited to health promotion, it also relates to environmental and personal factors associated with well-being. The society, the community and the family also exert a huge impact on how people age (Cabral & Ferreira, 2014), demonstrating the importance of relationships and social support (Antonucci, Lansford e Akiyama, 2001). The main argument in favor of active aging highlights the need to ensure the social inclusion of people as they age and to ensure their presence in the collective life, as well as activities that promote cohesion and social interaction. In this sense, the present study was developed in order to (1) caracterize the participants of the Garden of Medicinal and Aromatic Plants (in Portuguese called Jadim PAM) in demographic aspects and experiences relating to this participation; (2) assess the social networks and satisfaction with social support of participants in the Garden PAM; and (3) analyze the existence of differences in the variables (social networks and satisfaction with social support) as a function of socio-demographic characteristics. For this research we chose a process of selection of non-probabilistic nature, consolidating the sample participants in the second edition of Garden PAM & Wellness (N = 27). 81.5 % are women, aged 54 and 89 years (M = 70.67; SD = 8.88), with low education, predominantly up to four years (59.3 %) and mostly married (48.1 %). Participants were assessed with the Research Protocol Garden PAM & Wellness (Bastos, Faria, Moreira & Melo de Carvalho, 2013) which included, in addition to other measures, the Social Support Satisfaction Scale (Pais-Ribeiro, 1999) and the The Lubben Social Network Scale – 6 (Lubben, 1988; Portuguese version of Ribeiro, Teixeira, Duarte, Azevedo, Araújo, Barbosa & Paúl, 2012). The results reveal a lack of statistically significant differences in social support (p <0.05) according to gender, age and education group. Regarding the social network, 89.9 % of the participants were at risk of social isolation.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Gerontologia Social apresentada na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11960/1829
Aparece nas colecções:ESE - Dissertações de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Nazare_Pinto.pdf618.24 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.